Goianésia, GO
Boa noite - domingo, 26 de maio de 2019
 
 
Bolsonaro quer votar reforma da Previdência no primeiro semestre
DM - 06/12/2018
 O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse nesta quarta-feira (5/12) que está confiante em que a reforma da Previdência começará a ser votada no primeiro semestre de 2019. Segundo ele, há a possibilidade de aproveitar parte da proposta encaminhada pelo presidente Michel Temer. A prioridade, de acordo com Bolsonaro, é fixar idade mínima.

“Não adianta apresentarmos uma boa proposta e ela acabar ficando [parada] na Câmara ou no Senado. Este seria o pior dos quadros possíveis. Nosso grande problema, o que mais interessa no primeiro momento, é a idade mínima. Vamos começar com essa ideia e, depois, apresentar outras propostas”, disse Bolsonaro, indicando que pode se reunir com o relator da proposta, o deputado federal reeleito Arthur Maia (DEM) a fim de convencê-lo de propor a votação da idade mínima.

O futuro presidente disse ainda que, se pudesse, aprovaria novas regras para a Previdência já no dia 1º de fevereiro, quando começa a nova legislatura. “Mas temos que respeitar o calendário de tramitação de proposições. Pretendemos, logicamente, aprovar a Reforma da Previdência porque, se não a fizermos, daqui a pouco estaremos na mesma situação que a Grécia esteve há pouco tempo.”

Bolsonaro também revelou que convidará os líderes partidários para discutir a proposta antes de enviá-la à Câmara. Ele reiterou que “não pretende fazer política da forma como era feito antes”. “Posso não saber a fórmula do sucesso, mas a do fracasso é continuarmos fazendo a política de coalizão, de repartir o Poder Executivo com o Parlamento, ao qual respeitamos muito.”

Na última terça-feira (4/12) Bolsonaro já havia dito que pretende apresentar ao Congresso uma proposta fatida e que a definição de uma idade mínima para aposentadoria será prioridade.

Reforma tributária

Bolsonaro afirmou também que a reforma tributária em discussão no Congresso Nacional deve ser discutida com Paulo Guedes, confirmado para o Ministério da Economia. Questionado sobre os avanços e perspectivas, ele disse que a pergunta deveria ser feita a Gudes.

“Esta é uma boa pergunta para fazer ao Paulo Guedes. Porque é bastante complexo. Para entender o emaranhado da nossa legislação [tributária] é preciso ser PHD em Economia”, brincou o presidente eleito antes de voltar a defender a necessidade de flexibilizar as leis trabalhistas.

 




Espalhe:

http://itaja105.com.br/n/19487




Leia também...

24/05/2019 Bolsonaro diz que Câmara votará porte de arma para produtor rural
23/05/2019 Seis brasileiros morrem por acidente de gás no Chile
23/05/2019 Levantamento registra aumento de 10% e 3,8% nos preços do etanol e da gasolina em Goiânia
23/05/2019 Participantes têm até hoje (23) para pagar taxa de inscrição do Enem
21/05/2019 Sancionada lei que autoriza policial a afastar agressor da mulher
21/05/2019 Em Goiás, corte de água e energia pode ser proibido nos feriados e finais de semana
21/05/2019 Governo lança campanha publicitária pela reforma da Previdência
21/05/2019 Enem: candidatos sem isenção têm até quinta-feira para pagar inscrição